O que é a diabetes?

A diabetes é uma doença do metabolismo em que a quantidade de glucose (açúcar) na corrente sanguínea apresenta valores elevados. A secreção deficiente de insulina pelo pâncreas resulta em níveis excessivos de glucose e subsequentemente na urina. Esta urina com odor dá o nome à doença (mellitus é a palavra grega para doce). Pode ser causada pela diminuição de secreção de insulina ou pela sua acção deficiente, devido à insensibilidade dos tecidos receptores.

Existem duas formas de diabetes:
Diabetes tipo 1, também conhecida como diabetes insulino-dependente. Usualmente afecta as crianças ou o jovem adulto. As pessoas com este tipo de diabetes necessitam de injecções diárias de insulina.

Diabetes tipo 2, também conhecida como diabetes não insulino – dependente. Ocorre, normalmente, depois dos 40 anos e é o tipo de diabetes mais vulgar; corresponde a cerca de 90 % de todos os casos de diabetes. Há uma forte tendência genética para herdar este tipo de diabetes. Pode ser bastante controlado com uma alimentação cuidada e exercício físico.

Como é que a diabetes pode afectar os seus pés?

Os nossos pés apresentam uma complexa rede sanguínea para se manterem saudáveis, apresentando igualmente uma extensa ramificação nervosa, responsável pela sensibilidade do pé. Estas ramificações nervosas actuam como sinais de alarme. Por exemplo, se sentir um pequeno objecto dentro do sapato, este conjunto de nervos emite uma mensagem para o seu cérebro para que resolva imediatamente esta situação, retirando rapidamente o objecto causador da moléstia.
Contudo, com a evolução da doença, especialmente se esta não for convenientemente tratada, pode levar a:

  • Danificação nervosa ou “neuropatia periférica”, que provoca alterações de sensibilidade dos pés, e /ou
  • Redução do aporte sanguíneo, conhecida por “má circulação”.

A danificação nervosa pode significar que o paciente não sinta o objecto estranho dentro do sapato, devido à perda de sensibilidade dos pés. Esta situação pode levar ao aparecimento de um pequeno ferimento, e posteriormente a uma infecção.

Se igualmente apresenta “má circulação”, qualquer ferimento ou infecção no pé (por exemplo, cortes, queimaduras ou arranhões) irá demorar mais tempo a curar. Este processo é devido à diminuição da quantidade de sangue das artérias dos pés. O sangue providência os nutrientes responsáveis pelo processo cicatricial dos tecidos danificados.

Se apresenta problemas circulatórios, necessita de tomar cuidados extra para proteger os seus pés de possíveis ferimentos.

A maioria dos problemas nos pés das pessoas diabéticas ocorre quando os ferimentos e muitas das vezes as infecções passam despercebidos ou quando não tratadas atempadamente.

Como detectar sinais atempadamente?

Uma consulta de avaliação do pé a cada 6 meses realizada pelo seu Podologista, irá garantir a detecção de qualquer alteração inicial antes que esta se converta numa manifestação potencialmente perigosa.

Na consulta de avaliação, o seu Podologista irá examinar a sua circulação sanguínea através da detecção do pulso dos seus pés, pela artéria tibial anterior e artéria pédia. A avaliação da sensibilidade é também igualmente realizada, através de testes de reflexos com monofilamentos e dispositivo vibrátil, juntamente com a avaliação podobarométrica (distribuição de pressões do pé), permitirá escalonar o seu grau de afectação sensitiva.

O seu Podologista irá também verificar ou detectar possíveis alterações que futuramente se possam transformar em problemas mais graves, bem como, explicar pormenorizadamente todo o processo de monitorização da saúde dos seus pés entre as consultas.

 Insuficiência Circulatória e a Diabetes

 Inspeccione todos os dias os seus pés

Para prevenir problemas:

  • Proteja os seus pés de ferimentos
  • Inspeccione os seus pés diariamente (o seu Podologista o aconselhará como o fazer)
  • Consulte o seu Podologista imediatamente se algum ferimento não cicatriza

Como guia geral:

  • Mantenha controlados os níveis de açúcar do sangue
  • Não fume
  • Faça exercício regularmente
  • Evite andar descalço
  • Mantenha os seus pés limpos
  • Calce sapatos confortáveis e bem adaptados aos seus pés
  • Corte ou lime as unhas com cuidado, evite ferimentos
  • Trate das calosidades e outras alterações com o Podologista
  • Consulte o seu Podologista antes de utilizar medicamentos comerciais para o tratamento de calosidades.

Aconselhamento de calçado:

O melhor tipo de calçado é aquele que se adapta e que melhor proteja os seus pés. Evite andar descalço, para evitar ferimentos nos pés.

Garanta que os sapatos tenham o comprimento e largura metatarsal adequada.

Lembre-se:

  • As alterações de sensibilidade provocadas pela diabetes podem originar uma diminuição acentuada da sensibilidade dos pés. Cortes, bolhas, unhas encravadas e calosidades podem passar por despercebidas.
  • As alterações da circulação (redução da circulação do membro inferior), podem provocar a diminuição do processo cicatricial.
  • Proteja os seus pés de ferimentos e traumatismos.
  • Inspeccione os seus pés diariamente.
  • Consulte regularmente o Podologista.

Como o seu Podologista o pode ajudar:

Os Podologistas são profissionais de saúde altamente qualificados e treinados para a prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação das patologias dos pés. Os programas continuados de educação e especialização da carreira, garantem o melhor desempenho da sua função.
Visite o seu Podologista com regularidade, de modo a prevenir problemas futuros, aliviar a dor e o ajudar a conseguir uma melhor mobilidade.


Nota: Esta informação é meramente informativa não deve ser usada como substituto do aconselhamento podiátrico. Para qualquer dúvida consulte o seu Podologista.

Marque já a sua consulta


  • Av. Lusíada, 100
    1500-650 Lisboa
Tel.: 217 104 400


  • Praça Ernesto Melo Antunes, 1
    2700-339 Amadora
Tel.: 211 209 900

Clínica Napto

  • Rua Augusto Costa, 6B
    1500-064 Benfica (Pedralvas)
Tel.: 217 601 159